sábado, 16 de maio de 2015

Vivinho da Silva!


Um dois, esquerdo direito!
Quando me alistei na Marinha, foi assim, durante três meses, até jurar bandeira. Para trás e para a frente, com a Mauser ou sem ela, até romper a sola das botas da ordem.
No Lago Niassa, também os pescadores têm que remar certinho, senão não saem do sítio. Não sei se um deles vai cantando a mesma cantilena, um dois, à esquerda à direita, ou se já estão tão habituados que nem da cantilena precisam. Talvez seja o da proa que marca o ritmo e o outro limita-se a copiar os seus gestos.
Ontem, como vos disse, andei a dar uma volta geral pelos blogs e pelo Facebook, mas não tive tempo de vir acender o Farol que já estava às escuras há bastante tempo. Pois cá estou para cumprir o meu dever e manter o interesse daqueles que ficaram ligados a Moçambique e ao Niassa como eu. Infelizmente não tenho conseguido fotografias actuais, nem notícias que valha a pena publicar, mas sempre vou encontrando alguma coisa na net que vai tapando o buraco.
E assim vai a vida!

4 comentários:

  1. Até eu tenho saudades dos meus passeios de piroga e do cheiro da sanzala!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai dar banho ao cão.

      Eliminar
    2. Vai dar banho ao cão.

      Eliminar
  2. Um dois, esquerdo direito,
    companhia, em frente marcha
    na política, Portas e Coelho
    já estão a arreganhar a taxa!

    Quando olhava para aquela água limpa,
    viu nela a minha cara como num espelho
    antes de nos prepararem mais ginja
    vê-los emigrar era o meu maior desejo!

    Mandá-las para os confins do mundo,
    lá para a outra banda do Lago Niassa
    navegarem no mar muito mais fundo
    numa muito velha todo rota barcaça!

    ResponderEliminar